quarta-feira, 11 de junho de 2008

Os Camionistas e as “Toupeiras”

Já vai em mais de 48 horas mais um protesto de uma classe conta o governo, desta por causa dos combustíveis. Pela meia-noite de ontem, vários piquetes procuraram vários pontos estratégicos (Messines, Condeixa-a-Nova, Batalha, Beja, Porto Alto, Loures, Alverca, Carregado e fronteira do Caia) para ai interceptarem colegas e sensibiliza-los para a luta.

Até aqui nada de estranho, visto os nossos vizinhos, Espanha e França, estarem neste momento paralisados por semelhantes protestos. Os camionistas tem uma tradição de associativismo de salientar, como foi o caso do mega-bozinão de 1994, onde eles foram a linha da frente do movimento contra as portagens no tempo de Cavaco como primeiro-ministro.

O que acho estranho é a ANTRAM (a maior associação de camionistas do país), numa recente reunião na Batalha, se ter dissociado do movimento, argumentado que ainda estava em negociações com o governo. Ou seja, boicotaram a unidade do movimento, porque ainda acham que não está na hora de dizer basta!

Talvez esteja na hora sim, de depor certos “carreiristas” que ocupam cargos sindicais, ao mesmo tempo que vestem “cores partidárias” do lado do inimigo. Afinal quem anda a atacar os direitos dos trabalhadores?

Caricato foi a manif da última semana, organizada pela CGTP contra a proposta de revisão do Código do Trabalho, ter reunido 200.000 pessoas que acabaram por gritar slogans “Abaixo o Governo!”. Nessa altura, alguns dirigentes da própria CGTP abandonaram a manif, ofendidos pelos gritos da multidão!!??

É um pouco como ser contra a corrupção e achar que o Pinto da Costa é um fervoroso adepto de fruta! Mas não vamos por ai.

O triste é que estas pessoas a quem chamamos “toupeiras” ou “fura-greves” existem nos meios sindicais, plantadas por interesses obscuros de poder, e afectam de sobremaneira a vitalidade e credibilidade do mesmo. Porque para atacar o povo, já bastam as constantes agressões no custo de vida. E estamos fartos de traidores!

Nota: Ontem infelizmente a discórdia entre camionistas já fez uma vítima em Torres Novas.


Fiquem unidos. Porque só vocês (camionistas) conseguirão falar na linguagem que eles entendem; ou seja, parando o país e indo-lhes onde doe, na carteira. Um bem haja!

: /

6 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Lamento caro Marafado mas acho que está completamente errado. Aquilo que os piquetes de greve estão a fazer é um crime, é ilegal e prejudica-nos a todos e nem sequer estou a falar da gasolina ... Por mais razão que os grevistas tenham nada justifica os meios que empregam. Lamento mas ter uma opinião diferente não faz de ninguém "traidor". Tal como não é defensável que em circunstância alguma se utilize o bloqueio. É errado. Os fins por mais legítimos que sejam NUNCA justificam os meios.

Fly disse...

Caro Fernando embora não tenha sido eu o autor do post devo-lhe dizer que subscrevo totalmente aquilo que o meu colaborador e amigo Tomatestress escreveu.

Para mim crime é aquilo que esta corja que está no poder desde o 25 de Novembro de 1975 anda a fazer ou neste caso a cometer.

Alem de trairem o povo com as suas mentiras e negocios obscuros a favor de meia duzia de famiglias desde que o Soares e o Eanes estiveram no poder, conseguem enganar o povo fazendo com que todas as lutas travadas pelos nossos direitos sejam dinamitadas por dentro, por esses tais traidores. Basta ver aquilo que a UGT anda a fazer para ver que aquilo não é um sindicato que zele pelos direitos dos trabalhadores mas sim dos patrões.

Por mim a greve devia durar o mês inteiro. Isto como está é que não pode continuar, o País está nas ultimas, o povo anda todo fodido da vida, não tem dinheiro para nada, trabalhamos como nunca para chegarmos ao fim do mês e não vermos dinheiro algum e agora até já chegaram a acordo para passar a semana de trabalho de 48 horas para 65 horas semanais é claro que o ordenado não aumenta fique descansado.

É pena os militares estarem bem e a receber a horas, (o governo não é parvo e sabe que tem que ter estes do seu lado), porque senão se eles fizessem aquilo que juraram fazer quando do juramento de bandeira, "proteger o povo" e tal já há muito que tinham tirado esta canalha corrupta que se instalou no poder.

A revolta tem de começar por algum lado, porque não por aqui e agora?

Fernando Vasconcelos disse...

Pergunta porquê? Por uma razão simples. Vivemos num estado de direito em que existem meios não violentos para mudar o que queremos mudar. Lamento mas não partilho da opinião de que se deva fazer a revolução na rua, muito menos pela defesa de qualquer interesse corporativista qualquer que ele seja.

tomatestress disse...

Caro Fernando.
Gosto de opiniões contrárias.. pq assim aprendo sempre mais!
Agora pergunto, como os pacatos e honestos trabalhadores (a maioria dos camionistas são e a média portuguesa tambem o é!) se defendem do "estado de direito"?
Se é o Estado (e não os patroes), que tem estado na primeira linha ofensiva contra eles! Quem os devia defender, ataca-os..
O sr. é pobre? Julga-se protegido? Tem filhos? Está esperando uma reforma condigna? Gosta das suas condições de vida?
Se responde SIM a todas estas perguntas, então o sr. é simplesmente um grande INGÉNUO!!!!!
: /

kruzeskanhoto disse...

A paralização dos camionistas nada tem a ver com lutas de trabalhadores. Aliás se tivesse o governo teria mandado a GNR espancá-los como fez com os trabalhadores da Valorsul e como faz sempre que estão em causa direitos dos trabalhadores. Neste caso estavam apenas em causa empresas que querem, legitimamente diga-se, continuar a ter lucro sem aumentar o preço dos serviços que prestam que, parece-me, é numa economia de mercado o caminho a seguir.

voyance gratuite par mail disse...


Meu irmão sugeriu que eu possa como este blog. Ele estava inteiramente certo. Este post realmente fez o meu dia. Voce não pode imaginar o quanto tempo eu tinha passado por esta informação! Obrigado!