segunda-feira, 19 de maio de 2008

O prémio do Manuel

É quase centenário, mas parece que “tá ai prás curvas”..

Muito antes do Carlos Lopes correr maratonas, já ele fazia as suas! Com efeito, ver um dos seus filmes também pode ser uma maratona de aborrecimento, aos olhos incultos do Zé Povinho (no qual eu me incluio), agora não posso, não devo e não quero tirar-lhe o seu mérito. Fazer filmes desde 1931 (??!!) é não só um record de longevidade a nível mundial, mas também a prova cabal da persistência de um homem perante todos os períodos conturbados que se viveram em Portugal desde ai, em nome do seu mister. Porque não duvidem, para quem viu por exemplo Aniki Bóbó, que ele fez filmes geniais!

Porque após ele, tenho as minhas dúvidas, se proximamente teremos um cineasta tão premiado internacionalmente.

Hoje o Festival de Cinema de Cannes fez-lhe justiça, entregando-lhe o mais alto galardão, a Palma d’Or. Premiou a sua longa carreira e essencialmente o seu amor ao cinema!

Obrigado, Manuel de Oliveira.

1 comentário:

voyance gratuite en ligne par mail disse...

Grazie per questo articolo, che contiene un sacco di buoni consigli. Questo è qualcosa che ho avuto un momento difficile comprensione prima.