sexta-feira, 10 de agosto de 2007

O Império de Droga de Bush-Cheney- 3ª parte

Continuação deste post

A ligação directa da droga a Dick Cheney

Um relatório da CPI intitulado"Cheney Led Halliburton to Feast at Federal Trough", escrito pelos jornalistas Knut Royce e Nathaniel Heller, descreve como em cinco anos de liderança do Cheney na Halliburton, conseguiu que a subsidiária Brown & Roots ganhasse 3.8 mil milhóes de dolares em contratos e empréstimos com o governo. Os empréstimos foram cedidos pelo Export-Import Bank (EXIM) e pelo Overseas Private Investment Corporation (OPIC). Segundo Ralph McGehee apoiante da CIA, ambas as instituições estão altamente infiltradas pela CIA e é rotina providenciarem NOC ( Network Operation Center-centro de operação de rede) aos seus oficiais.

Um dos empréstimos, ao The Alfa Group of Companies, um aglomerado de bancos e finanças Russo, continha 292 milhões para pagar um contrato da Brown & Roots para um novo poço de petróleo na Sibéria, pertencente à Russian Tyumen Oil Company. The Alfa Group adquiriu os seus 51% da Tyumen Oil alegadamente numa bem orquestrada oferta em 1998. Um relatório do governo Russo afirma que os executivos de topo do The Alfa Group, os oligarcas Mikhail Fridman e Pyotr Aven, " alegadamente participaram no transporte de drogas desde o sudoeste asiático até à Rússia e Europa". Estes mesmo executivos, Fridman and Aven, diz o relatório traficavam a heroína associados à familia mafiosa Solntsevo, são os mesmos que benficiaram dos empréstimos da Halliburton ao EXIM. Como resultado, o trabalho da Brown & Roots pode continuar e expandir-se.

Depois de descrever como os interesses do crime organizado The Alfa Group, alegadamente roubaram o campo de petróleo por fraude, a versão da CPI- usando relatórios oficiais do FSB( o equivalente russo ao FBI), de companhias petrolíferas como a BP-Amoco, de antigos agentes da CIA e do KGB e artigos de imprensa- estabeleu-se uma ligação sólida entre o Alfa Tyumen e o transporte de heroína. Em 1995, pacotes de heroína disfarçados de pacotes de açucar foram roubados de um contentor num comboio alugado pela Alfa Eko e vendidos em Khabarovsk uma cidade da Sibéria. Um problema de "intoxicação" e "envenenamentos"surgiu em muitos residentes da cidade.

A versão da CPI constata que "o relatório do FSB diz que relacionado com este incidente, agentes do Ministério de Assuntos internos (Ministry of Internal Affairs (MVD)) fizeram raids aos edificios da Alfa Eko e descobriram drogas e outras documentações comprometedoras".

Ambos os relatórios diziam que o Alfa Bank lavava dinheiro dos cartéis russos e colombianos.

Um documento da FSB, de finais de 1993, refere que uma alta patente do Alfa encontrou-se com Gilberto Rodriguez Orejuela, o cêrebro das finanças do cartel de Cali que se encontra detido, " para concluir um acordo acerca da transferencia de dinheiro de zonas offshores, como sejam as Bahamas e Gilbraltar para o Alfa Bank". O plano era o de devolver o dinheiro à Russia aplicando-o em companhias russas.

"...Ele(o antigo agente do KGB) reportou que havia uma clara evidencia do envolvimento do Alfa Bank em lavagem de dinheiro... dos cartéis de droga da América Latina."

Torna-se dificil para o Cheney e a Halliburton declarar mera coincidencia em tudo isto.

A heroína mencionada no reltório da CPI com origem no Laos, onde os aliados do Bush e os agentes encobertos Richard Armitage e Ted Shackley(este foi um Associate Deputy Director of Operations da CIA) foram repetidamente relacionados com o tráfico de droga que vinha através do Sudeste Asiático para o Vietname, provavelmente para o porto de Haiphong, depois a heroína era embarcada para o porto russo do pacifico de Vladivostok, entrando na Sibéria por comboio ou camião com destino à Europa, passando pelas mãos dos lideres da máfia russa na Tchéchénia e Azerbeijão. Estes dois países são propicios a conflitos armados e exploração de petróleo, e a Brown & Roots encontra-se aqui há muito tempo.

Como descrito em anteriores edições da FTW, longos e tortuosos caminhos foram estabelecidos depois do enviado pessoal do presidente Bush, Richard Armitage, com o cargo de embaixador, ter viajado para a antiga União Soviética em 1989 para assistir ao seu "desenvolvimento económico". Os obstáculos, de então, para uma melhor, mais directa e lucrativa rota desde o Afeganistão e Paquistão através da Turquia para a Europa era um governo coesivo Servio/Jugoslavo controlando os Balcãs e a continuidade da instabilidade no Crescente Dourado do Paquistão/Afeganistão.

Talvez não seja coincidencia, outra vez, que o Cheney e o Armitage partilhem sociedade no prestigiado instituto Aspen, um think thank bi-partisan de pesquisa, e também na Camara do Comércio US-Azerbeijão. Em novembro de 1999, Armitage desempenhou o papel de secretário da defesa num exercicio no concelho de relações exteriores, onde ele e o Cheney são membros.

Muitos dos melhores e que há mais tempo servem o Bush, como sejam o Richard Armitage e o veterano da CIA Ted Shackley têm grande bagagem politica. Armitage aparece como um conselheiro para as regiões da Europa em conflito, já desempenhou este papel para George Bush em 1989 na Russia e em 1992 na Albânia, esteve também nos conflitos do Kosovo e da Tchéchénia e expandiu o tráfico de droga através dessas regiões.

continua...

Sem comentários: