domingo, 13 de maio de 2007

Programa do Executivo Governamental

Num dia como o de hoje, em que parece que aconteceu um milagre (?) em Fátima há 90 e tal anos, tenho a confessar a minha alegria por encontrar, no resistir.info, alguns novos artigos escritos por César Príncipe e que passo a reproduzir um dos que achei mais interessante, embora os outros também sejam pertinentes. Sinceramente já estava com saudades de textos escritos por este homem.
Devo esclarecer que no texto abaixo quando se refere a Governos do Rotativismo refere-se ao PS e PSD em Portugal, que se baseiam no modelo de domínio anglo-saxónico: dois partidos alternam-se no poder, fingindo-se populares na Oposição e tornando-se impopulares no Governo.

Política Económica dos Governos do Rotativismo.
Uma Economia fraca e uma Finança forte. O primado da parasitaria empresarial e o receio do capital de risco. Um capitalismo de assalto ao Orçamento de Estado, aos Fundos Europeus, à Massa Salarial, ao Ordenamento do Território, à Carta Ambiental. Um programa diabolizador do interesse público e sacralizador do interesse privado, tendo em vista a privatização dos lucros e a nacionalização dos prejuízos. Para imprimir maior mérito a este frenesim de modernidade, ainda temos a aposta na desqualificação como desígnio do desenvolvimento condicionado.

Política de Defesa dos Governos do Rotativismo.
As Forças Armadas puseram termo à Guerra Colonial Portuguesa e passaram a ser mobilizadas para as guerras coloniais americanas.

Política de Saúde e Segurança Social dos Governos do Rotativismo.
Miséria mínima garantida.

Política Educativa dos Governos do Rotativismo.
O povo deve saber ler os avisos das Finanças e saber escrever mensagens nos telemóveis. O Estado só deve saber contar.

Política Cultural dos Governos do Rotativismo.
A cultura é uma menina que vai restaurar o hímen a clínicas espanholas. Mantém-se para subornar algumas elites e envernizar as betoneiras.

Política Desportiva e Recreativa dos Governos do Rotativismo.
O futebol é mais importante do que o Fado e do que Fátima. Portugal é um rectângulo de jogo. A bola é a cabeça dos eleitores e dos contribuintes.

Política de Liberdade de Imprensa dos Governos do Rotativismo.
Cada vez menos Comunicação e cada vez menos Social.

Papel dos Partidos Reformistas na Ilusão das Massas Populares.
Mário Soares meteu o Socialismo na gaveta. António Guterres meteu a gaveta num cofre. José Sócrates depositou o cofre no Banco Central Europeu.

Papel das Confissões Religiosas na Definição da Agenda do Poder.
A Doutrina Sexual da Igreja é mais excitante do que a Doutrina Social da Igreja.

2 comentários:

G disse...

Excelente texto!
Não conhecia...
Vou estar mais atento a este senhor.
Abraço!

Teixeira disse...

A conhecida tese dos 3 F's...

Futebol
Fado
Fátima

A "ditadura" mudou mas a mer** é a mesma.

Excelente post Fly.

abraço
[[]]