sábado, 19 de maio de 2007

Comunidades

O Director da Anjos da Guarda, um centro privado de recuperação de tóxicodependentes, em Vila Verde, Braga, foi detido, em Alijó com 32 gramas de Heroína após ter tentado fugir a perseguição da GNR. O suspeito já tem antecedentes por tráfico de estupefacientes.

in Correio da Manhã

Aqui temos um bom exemplo do que algumas Comunidades para recuperação e tratamento de toxicodependentes são. Quando o próprio director é um traficante ou nem que seja um toxico, os doentes nunca conseguirão ter uma recuperação capaz, até aposto que eram obrigados a arranjar dinheiro e a entrega-lo todos os dias para o intruja ir comprar droga. É por estas e por outras que as comunidades estão desacreditadas e aquelas que fazem uma boa recuperação e um bom tratamento estão em risco de fechar.
Este caso passou-se no Norte mas aqui o Sul não é diferente veja-se o caso da comunidade perto da Pedreira, em Silves, onde tenho vários amigos que passaram por lá, e eles bem me contavam o que aquilo era/é(?), uma chulisse pegada, eram/são(?) obrigados a chegar a casa com pelo menos 100€, correndo o risco de não jantarem à noite, ou de sofrerem outro tipo de represálias, isto numa zona que já está mais que escaldada com as angariações da comunidade. Muitas vezes, pessoal que mais tarde passou por lá, encontraram o director deste centro (que já não me lembro o nome), na casa do dealer a consumir, não sei se ele ainda o faz espero que não, pela saúde dele e dos próprios doentes que tem em casa.
Não é por ter acontecido isto numa Comunidade Privada que eu não aconselho a quem é consumidor a ir para uma Comunidade Terapêutica, e reparem que digo Terapêutica e não digo Laboral, porque há grandes diferenças, enquanto na primeira trata-se de "trabalhar" o psicológico, na segunda trabalha-se o fisico e enche-se os bolsos dos donos com as colectas diárias , até posso aconselhar a Comunidade Terapeutica António Lopez Aragon, em Évora, uma das poucas boas Comunidades em Portugal que é comparticipada pelo Estado, onde se paga relativamente pouco, e que este investimento pode ser reembolsado pela Segurança Social.

De qualquer das formas deixo aqui o meu repúdio a estes chulos que andam a viver ás custas dos desgraçados dos tóxicos, e também deixo aqui o meu apoio a todos aqueles que de uma forma ou de outra vivem o inferno da toxicodependência, e a minha solidariedade para com aqueles que querem efectivamente acabar com o flagelo da droga, e que tomam medidas eficazes de tratamento e resolução de inúmeros casos de toxicodependencia, e reparem que não disse medidas eficazes ao combate ao tráfico porque isso só com a liberalização e despenalização de todas as drogas é que se conseguiria, por enquanto é ver florescer as atitudes da notícia que falei aí em cima e cada vez mais casos de toxicodependentes.

6 comentários:

Teixeira disse...

Sem meias palavras! O Marafado na mais pura das verdades. O negócio do tratamento de toxicodependentes, é uma das maiores roubalheiras e hipocrisias que existem neste país!

Conheço histórias menos graves do que as contadas por ti sobre a instituição do Algarve, mas todas tem um ponto em comum - o assalto aos doentes e às suas famílias.

Abraço
[[]]

bjecas disse...

Também conheço alguns casos.
Num deles, a mãe (o pai faleceu há mto tempo) além do pé de meia ter ido à vida, empenhou-se até aos cabelos. E que pouca sorte teve, pois o filho é um merdas e continua a dar na fruta e a atormenta-la.
Mas que os centros são quase todos um antro de vigarice, lá isso são.

\m/

Anónimo disse...

Então está bem.

G disse...

Imagens deste triste país...
Abraço!

Corduroy disse...

Estou estupefacto... Kd nada parece surpreender-me neste país, há sempre algo que acontece que me faz ficar ainda mais incrédulo com tamanha coisa!!!!! Como é possivél.

Anónimo disse...

enviem-me para o meu mail essas historias do falacho que sou mãe e tenho la um filho. mariamc44@yahoo.com.br