segunda-feira, 30 de abril de 2007

Marcha Para Legalizar Cannabis

No dia 5 de Maio uma marcha a favor da legalização/normalização do cultivo, venda e consumo de cannabis, vai ter lugar em mais de 220 cidades espalhadas pelos 5 continentes, incluindo Lisboa e Porto. “Em Portugal não temos a ilusão de conseguir atingir brevemente a legalização, por isso queremos com a marcha simbólica incentivar a que haja um debate à volta do tema”, diz Pedro Pombeiro, um dos organizadores da marcha em Lisboa.
A organização espera que haja mais pessoas do que na primeira marcha do género em Portugal, realizada no ano passado e onde estiveram cerca de 200 pessoas. Em Lisboa, a concentração é às 14 horas, no Jardim das Amoreiras. No Porto, é às 15 horas, na Praça do Marquês.
Segundo Pedro Pombeiro, que afirma não estar ligado a nenhuma associação ou partido, é necessário alterar a actual lei que descriminaliza a posse da cannabis, mas “confunde consumidores com traficantes, pois a quantidade permitida é muito reduzida.”

Estou completamente solidário com esta causa, sabendo a forma como a cannabis foi proibida, no principio do sec.20, pelos EUA no sentido de fazer com que o algodão produzido por eles tivesse escoamento no mercado internacional., isto porque a cannabis é a planta mais resistente para fazer todo o tipo de fibras, desde o papel até cordas e velas para barcos, e assim sendo era necessário arranjar uma desculpa, para proibir esta planta em todo o mundo, fazendo campanhas proibicionistas com vista a dar uma má imagem da cannabis e ao mesmo tempo conseguir vender o algodão e o linho que os EUA produzem em larga escala. Esta proibição imposta pelos EUA foi, na minha opinião, mais uma forma de ganhar dinheiro com um produto que para além de ser o mais resistente na fabricação de vários materiais, pode ser usado também para fumar, e claro, para traficar , tendo assim lucros astronómicos que se a planta não fosse proibida nunca viriam a ter.
Os governos que proibem esta planta, Portugal incluido, sabem que ao faze-lo não estão a combater o problema da toxicodependencia e do tráfico, estão sim a perpétua-lo para continuarem com os lucros que sempre tiveram, para que cada vez mais pessoas consumam drogas e para que cada vez mais pessoas se alheiem dos seus problemas e da sociedade em que vivem.

"Quantos mais ignorantes, melhor para os governantes."

Eu sou a favor da legalização de todo e qualquer tipo de drogas, não só da erva ou chamon, as chamadas leves, mas também das mais pesadas como seja a heroína ou a cocaína. A proibição nunca foi solução e esta é mais uma que não vai levar a lado algum. Não é por ser proibido que as pessoas vão deixar de usar drogas, sempre houve e sempre há-de haver . O alcool que faz muito mais mal que as drogas, e é ele próprio uma droga, não é proibido, continua a desgraçar milhares de familias, só em Portugal, todos os anos, mas no entanto vende-se em qualquer esquina, continuando a atrofiar os cêrebros de quem o consome.
Quem continua a ganhar com a proibição são os mesmos de sempre, aqueles que nos governam , mas num sentido mais pessoal porque o dinheiro vai directamente para os bolsos deles, se fosse legal era o País que ganhava com os impostos arrecadados, era o consumidor que ganhava com a qualidade que consumia e eram os traficantes que desapareciam quase por completo. Assim como está é o que se vê , cada vez mais droga nas ruas, com uma relação preço/qualidade muito fraca. São as comunidades terapeuticas a florescerem como cogumelos, muitas vezes sem qualidade para prestarem a ajuda necessária aos doentes e cada vez mais toxicodependentes.

7 comentários:

Teixeira disse...

Subscrevo com apenas algumas reticências na liberalização das chamadas drogas duras.

"Deixemos-nos" de hipocrisias. A actual lei não é mais do que isso. Hipocrisia.

Abraço
[[]]

fly disse...

Hipocrisia, definiste muito bem o tipo de politicas em vigor por quase todo o mundo. Acerca das reticências na liberalização das duras, estás no teu direito assim como eu estou no meu de ter a convicção de que deveriam ser todas legais, afirmo isto com conhecimento de causa de quem já passou por elas,e felizmente por enquanto estou fora e espero que para sempre.

abraço

Bia disse...

"Quem continua a ganhar com a proibição são os mesmos de sempre, aqueles que nos governam , mas num sentido mais pessoal porque o dinheiro vai directamente para os bolsos deles, se fosse legal era o País que ganhava com os impostos arrecadados, era o consumidor que ganhava com a qualidade que consumia e eram os traficantes que desapareciam quase por completo."

Não tenho mais a acrescentar, concordo completamente.

fly disse...

Podia ter referido também que um toxicodependente é praticamente um voto a favor do que ganha, porque a maior parte deles não exerce o seu direito de voto.
Um toxicodependente além de comprar as drogas que os politicos metem nas ruas, ainda pagam somas exorbitantes nas clinicas de desintoxicação e comunidades terapeuticas pertencentes a esses mesmo politicos ou familia destes.
E podia dar mais uns montes de exemplos para justificar o facto da ilegalidade das drogas, mas acho que já chega, ou talvez num outro post.

abraço***

bjecas disse...

Concordo com o Teixeira. Tenho reservas em relação às 'duras'.
De qualquer modo, acredito pouco nestas manifestações. Eu, se por acaso lá fosse, era só para comprar uma ervita (lol).

\m/

Fly disse...

LOL!

[[[]]]

Anónimo disse...

Os políticos aguardam o momento certo para poderem dar a cara pela legalização do Cannabis.

Esse momento será quando os jovens começarem a votar ou quando morrer a maior parte da geração que fez a Revolução de Abril - é irónico não é?

Querem mudar a sociedade? Participem na MGM em vez de ficarem em casa a jogar Playstation.

Assinado: Politriks