domingo, 8 de abril de 2007

Inteligência Emocional

Há uns anos atrás , as emoções eram consideradas do domínio privado , e nem sequer eram tidas em conta nas nossas vidas. Actualmente dá-se cada vez mais importância a esta área. As emoções estão presentes em qualquer situação e podem criar complicações se não forem bem geridas.
A inteligência emocional é um tipo de inteligência que envolve as habilidades para perceber, entender e influenciar as emoções. Trata-se de uma área relativamente nova da psicologia. Em 1995 o psicólogo Daniel Goleman começou a publicar livros sobre este tema e rapidamentese tornou popular. Por outro lado, recentes avanços das ciências da mente e do comportamento (psicologia, psiquiatria, neurofisiologia) têm demonstrado a importância das emoções nos processos de decisão e no desempenho profissional dos individuos ou grupos.
A inteligência emocional não é geneticamente programada, sendo aprendida através da educação e das experiências de vida. De certa forma, é como se possuissemos duas mentes com dois tipos diferentes de inteligência: racional e emocional. Mas a nossa vida é determinada principalmente pela inteligência emocional. Mesmo que sejamos muito inteligentes , só podemos ser bem sucedidos profissional e socialmente com alguma dose de inteligência emocional.
Por exemplo, muitas pessoas, mesmo com um QI elevado, possuem um baixo QE. A conjugação destes dois factores faz com que sejam muito eficazes nos dominios racionais mas insensíveis na sua vida afectiva e social.. Geralmente tornam-se arrogantes e inaptos nos relacionamentos. Por seu turno, pessoas com alto QE mas QI regular tendem a gerar empatia e confiança. O ideal é haver um equilibrio entre os dois tipos de inteligência.

Para termos um QE elevado é necessário, tambem, termos um conhecimento das emoções que estamos a sentir e para isso temos que estar atentos aos sinais que o nosso corpo transmite nas situações que vivemos no dia a dia. São cinco, as emoções básicas do corpo humano:

  • Zanga - Manifesta-se na tensão nos músculos dos braços e/ou das pernas.
  • Medo - sente-se na boca do estômago e no peito.
  • Dor - ou tristeza, sente-se no peito na zona mais central.
  • Prazer - é sentida na zona pélvica.
  • Amor - sente-se no peito, na zona do coração.

Na nossa cultura ainda existem muitos preconceitos e falácias sobre as emoções básicas. Assim:

  • Zanga - os homens podem mostrar zanga , as mulheres não, porque zanga é sinal de energia, de poder e de virilidade. Zanga ainda é entendida como desamor, não gostar ou não ser gostado. Se tu estás zangado comigo, é porque não gostas de mim. Também zanga é dita como sendo igual a destruição. se eu chego a zangar-me, poderei destruir alguém, ou destruir-me.
  • Medo / Dor - mostrar medo ou dor é sinal de fraqueza, logo os homens não podem mostrar tais sentimentos, quando muito isso é para as mulheres. Se eu mostro medo, sou atacado e não serei capaz de me defender. A dor é associada á morte. Se eu mostro dor, vou sofrer ainda mais, partir-me-ei todo e morrerei.
  • Prazer / Amor - desejar ter prazer, é ser infantil, irresponsável, imoral, asqueroso, debochado, desavergonhado. Amar é ser romantico, logo ultrapassado e antiquado. O amor é também uma armadilha. Se eu expresso o meu amor por alguém, ficarei vulnerável e à mercê desse alguém a quem confesso o meu amor ( a titulo de ex. uma passagem de uma entrevista à Dra.Maria Belo, psicanalista : "... Você diz que me defendi do amor; eu acho que era tão frágil em relação ao amor que me deizaria apanhar de forma profunda e perderia a minha liberdade...". Para outros o amor e o prazer são identificados como uma utopia, como algo tão nobre e superior, logo longe do alcance dos seres humanos que são imperfeitos. Não presto, não mereço existir com prazer, nem mereço ser amado.

No campo das emoções urge fazer a revolução, social e individual. Aceitar o que se sente, que não é verdadeiro nem falso, é o que é! Aceitar que a zanga ( a raiva, ou , como outros preferem, a indignação), o medo, a dor (a tristeza), o prazer, o amor (a alegria) são inerentes à condição humana.

Sentir é estar bem vivo, é estar despertado, é estar mais saudável. Negar as emoções , desistir ou anestesiar o sentir ( com alcool , drogas, calmantes, etc) é caminhar para a apatia vegetativa, para a doença. Aliás , existe uma doença chamada alexitimia ou a incapacidade de sentir, de diferenciar sentimentos, será que é para lá que caminhamos ou será que estamos a dar os primeiros passos no auto conhecimento emocional e duma vez por todas mudarmos o mundo e a forma de viver e sentir a vida. Para isso acho que parte de cada um a forma como vive com as emoções , mas também é necessário uma aprendizagem , ou melhor um ensinamento a nivel escolar para que aos poucos se vá mudando a sociedade belicista e torná-la numa sociedade de amor e fraternidade. Embora eu ache que os governos não estão dispostos a ensinar isso ás crianças, o sistema de ensino está virado para o racional em vez do emocional, e enquanto assim for quem ganha são sempre os mesmos, ou seja aqueles que fazem a guerra e ganham com isso e quem perde é sempre o povo que vai combater e morrer por causas que não são as deles, mas este assunto fica para outro post.

2 comentários:

Teixeira disse...

Tens razão. Não devemos descurar o nosso lado emocional porque corremos o risco de nos fecharmos sobre nós próprios e isso só faz com sejamos menos humanos.

Forte abraço
[[]]

susane disse...

Su trabajo era muy sorprendido porque ha sido que no he encontrado como este hermoso intercambio.

voyance par mail rapide