quarta-feira, 4 de abril de 2007

A desinformação dos média portugueses, ditos de referênçia

Há muitas e boas razões para criticar a governação neoliberal do Sócrates. Elas vão desde o lançamento irresponsável de projectos megalómanos e ruinosos, como é o caso do novo aeroporto e do TGV, até à destruição de serviços públicos que sempre foram prestados aos cidadãos;
desde a legislação anti-trabalhista até reformas na Segurança Social danosas para os trabalhadores;
desde o servilismo perante o capital monopolista nacional e estrangeiro até a submissão aos diktats do imperialismo, com envio de tropas portuguesas para o Afeganistão;
desde uma ignorância gigantesca quanto ao Pico Petrolífero até à despreparação total e absoluta para enfrentar a crise energética que vem aí.
Todos esses temas, e muitos mais, dariam razões de sobra para os média portugueses que se proclamam "de referência" darem azo à sua capacidade de investigação. Mas eles silenciam tudo isto: preferem tratar de temas absolutamente marginais como a licenciatura ou não licenciatura do primeiro ministro José Sócrates numa universidade privada.
Portugal está a cair na perversão da pseudo-democracia dos E.U.A., quando os escândalos sexuais do Bill Clinton ganhavam mais relevo nos média do que a sua criminosa e selvagem guerra de agressão contra a Jugoslávia.
Tratar do acessório como se fosse o principal faz parte das tácticas de desinformação/despolitização que acontece um pouco por todo o mundo, os temas que realmente interessam ao povo e ao País são abafados e não são discutidos com a verdade e a sinceridade que se exige dos governantes.
E assim vamos andando, a tentar viver e a (des)acreditar nesta classe política cada vez mais corrupta e mentirosa.

3 comentários:

J.J.J. disse...

Com o devido respeito, a sociedade civil nem reage ao sacrificio a que se encontra exposta do "abuso" da cobrança fiscal que dispara a torto e a direito, nem com o excesso da carga fiscal, que mexe no essencial, no seu bolso, quanto mais, noutras questões que não lhe tocam ou com as quais não convive directamente...
Na verdade, há dias o Tribunal de Contas, declarou com todas as letras que este era um, senão o governo mais gastador e ninguém parece perceber que é na despesa que os governos esgotam a receita e aumentando a despesa a pressão fiscal aumenta e que é na redução da despesa que os portugueses podem melhorar o seu nivel de vida.Mais, que é na despesas que a classe politica sustenta e perpectua o seu poleiro ao arrepiu dos interesses dos seus mandantes e principais interessados-os cidadãos contribuintes-.
Que fazer? NÃO DEIXAR PASSAR EM CLARO EVIDÊNCIAS COMO ESTAS E AGIR EM CONFORMIDADE...
Participar empenhadamente nas questões que estão à nossa volta...
Punir politicamente os responsáveis...
Esclarecer através de quaisquer meios à disposição, como através deste e doutros Blogs, fazendo as leituras correctas da comunicação intoxicante.
Resistir civicamente em todas as questões locais, regionais ou nacionais, com militancia.Estimulando sempre e mais participação dos cidadãos!...assina:http://armacaodepera.blogspot.com

MaD disse...

Portugal é um país de "cuscas" e alcoviteiros, caro amigo.
Para além de que todos estamos absolutamente convencidos de que sabemos tudo e, portanto, a dúvida é coisa que não nos passa pela cabeça.
A começar pela comunicação social que é execrável.
Mas é bom que façamos todos o mea culpa, em especial, aqui na blogosfera, onde, muitas vezes, se vai apenas pelo que está na moda e a mesquinhez dá origem à vingançazinha soez.
Quanto mais néscios somos, mais nos convencemos da nossa "sabedoria".
Já é tempo de construir. Deixemo-nos desta auto-destruição estúpida e inglória.
Boz Páscoa.

susane disse...

Me encanta lo que usted se pregunta cómo no se me olvida tu blog .

voyance gratuite en ligne