quarta-feira, 28 de março de 2007

A mentira por trás da verdade inconveniente



Encontrei ontem no resistir.info um artigo muito interessante acerca do documentário do Al Gore, a verdade inconveniente, e do consequente alarmismo verificado um pouco por todo o mundo. Para ser sincero, quando ouvi pela primeira vez esta teoria do aquecimento global , interroguei-me se isto não seria uma grande mentira bem orquestrada pelos poderosos politicos, para alarmarem a população e sacar mais dinheiro aos pobres contribuintes.
Lembro-me que há 20 anos atrás , ou mais, se falava muito no arrefecimento global e as consequências desastrosas para a humanidade, e agora passados estes anos todos, os mesmos que diziam que a Terra estava a arrefecer, dizem que a Terra está a aquecer. Enfim a mesma história de alarmismo para incutir medo ás populações, o medo é o melhor sentimento para controlar as pessoas.

Mas voltando ao artigo que podem ler aqui, retirei algumas das partes mais relevantes, embora todo ele seja importante e de leitura obrigatória, nele pode-se ler conclusões muito interessantes que apresenta como causa principal das alterações climáticas as variações da actividade solar, que sempre houve e sempre há-de haver. É o Sol que determina as nossas estações e que tem verdadeiramente o maior impacto no clima do que poderíamos alguma vez supor.

"A Associated Press relatou que os satélites [meteorológicos] que medem a temperatura solar têm registado um aumento da sua temperatura , significando que a radiação solar está a aumentar.

Claude Allègre, cientista francês [ex-ministro da Ciência], "Está convencido que o aquecimento global é uma variação natural e não vê na ameaça anunciada de "grandes perigos" mais do que enormes exageros "

Para aqueles que viram o documentário de Al Gore, aquilo era muito convincente quanto à hipótese do aquecimento global ser um fenómeno desencadeado pelo Homem com o potencial de matar toda a gente e acabar com a humanidade. Apesar de tudo, o filme foi preenchido com gráficos e mapas, de modo a parecer verdadeiro. Comecemos por algo que é indiscutível. Al Gore não é um climatologista, meteorologista, astrónomo ou um cientista de qualquer ramo. Ele é um político. E como todos sabemos, os políticos dizem "sempre" a verdade .(para quem não sabe esta frase é uma ironia).

Um grupo de cientistas disse recentemente que o que está por trás do filme de Al Gore, como o conceito do aquecimento global provocado pelos gases com efeito de estufa, era "uma fraude" . Afirmam, de facto, que existe uma prova muito fraca para sustentar aquela teoria e que a prova [forte] aponta actualmente para o aumento da actividade solar como causa das alterações climáticas. No filme de Al Gore apresenta-se a prova dos cilindros de gelo retirados do Antárctico como demonstrativa da teoria de ser o [aumento da concentração do] CO 2 a causa do aumento da temperatura. No entanto, este grupo de cientistas afirma que "períodos mais quentes na história da Terra sucederam 800 anos antes do aumento da concentração do dióxido de carbono", significando que o crescimento da concentração se atrasa em relação ao da temperatura. Isto é, as emissões [naturais] crescem com um atraso de 800 anos em relação ao aumento da temperatura. O grupo salienta também que "após a Segunda Guerra Mundial verificou-se um aumento significativo de emissões de dióxido de carbono [acompanhando a explosão económica da reconstrução europeia] e, contudo, a temperatura média global baixou durante [cerca de] quatro décadas seguidas, a partir de 1940." Chamam ainda a atenção para o facto de a ONU [IPCC] reivindicar a participação de 2000 cientistas líderes internacionais na redacção de um relatório [sumário editado em Fevereiro de 2007], o que é uma fraude, quando se sabe que a lista contém nomes de cientistas que pediram para serem retirados dela por não estarem de acordo com as conclusões [apresentadas publicamente].

A maioria dos cépticos não afirma que o aquecimento global não esteja a acontecer. Eles discordam apenas quanto às causas. Mesmo assim são chamados de traidores. [Apesar de tudo], um estudo financiado pela NASA em 2003 afirma que "alterações no ciclo solar – e a radiação solar – são reconhecidas como causas possíveis de mudanças do clima na Terra, a curto prazo".
Em resposta à utilização das imagens, no filme de Al Gore, sobre os glaciares que recuam, o Dr. Boris Winterhalter, Prof. de geologia marinha e antigo investigador da Marinha na Geological Survey da Finlândia, disse que "A parede do glaciar a quebrar [Perito Moreno, na Patagónia] é um fenómeno cíclico normal que ocorre devido ao avanço natural do glaciar [sobre um lago]". Esse avanço tem sentido, como o passado histórico nos mostra, porque aquele glaciar se move continuamente, auxiliado pela inclinação do vale [devido à acção da gravidade], desde o final da última glaciação de há cerca de 10 mil anos

Um outro uso inteligente das imagens para manipulação dos factos é o do urso polar que parece atrapalhado com uma placa de gelo para indicar que os ursos polares estão em extinção por causa do aquecimento global. No entanto, existem coisas erradas nesta avaliação. Primeiramente, de acordo com um artigo publicado pelo Prof. Igor Poliakov , da Universidade do Alasca, "A região do Árctico onde se verificou uma subida da temperatura [parte oriental, devido às depressões que levam ar quente] que se supõe fazer perigar os ursos polares mostra flutuações desde 1940 sem nenhuma tendência marcada pela subida". Seguidamente, se os ursos polares estivessem em perigo, conforme Al Gore, como se justifica que uma avaliação recente feita pelo governo canadiano conclui que a espécie não está em declínio mas em número crescente ? Em terceiro lugar, a ideia apresentada de um urso polar aflito como argumento de Gore, é verdadeiramente peregrina pois eles são excelentes nadadores de acordo com a Sea World [cadeia de parques temáticos dos EUA] "capazes de nadar durante várias horas seguidas em distâncias que podem atingir cem quilómetros"

Ao verificarmos que existem mais provas de que as alterações climáticas estão mais relacionadas com o aumento da temperatura do Sol do que com o comportamento dos povos de todo o mundo, devemos perguntar porque são abafados os esforços para explicar que se trata de um mito e são atacados os que se esforçam nesta missão."

Só tenho pena que estas conclusões e teorias não sejam apresentadas ao público com a mesma energia e vontade nos média de todo o mundo, só nos resta a internet e mesmo esta até quando?

4 comentários:

Canochinha disse...

Não vi o filme do Al Gore (ainda) e também ainda não tinha ouvido esta versão dos factos. Realmente dá um pouco que pensar... Tenho de ver se investigo mais a fundo a questão.

Corduroy disse...

Isto realmente é um cruzar de informações, que ás pessoas normais de qualquer sociedade como eu, que não estão por dentro de assuntos do foro ambiental e biológico, suscita muitas dúvidas, sobretudo na essencial que é: Em Quem Vou Acreditar???
O que interessa é k continuem a limpar o planeta e não o poluam, pois, a Terra é o nosso lar... e o nosso lar quer-se limpo...

Teixeira disse...

Andamos em sintonia nos posts. LOL


Abraço
[[]]

G disse...

Olá!
Tudo isto é discutivel...
Mas sinceramente, parece-me que todos temos uma certa parte de culpa nas alterações climáticas.
Mas o melhor é continuar a discutir e a investigar o tema.
Bom post!
Abraço!